- KEEP the FAITH - https://ktfnews.com/pt -

O Retorno do Profeta

Por Pastor Hal Mayer

O Retorno do Profeta [1]

Queridos amigos,

Bem-vindos ao Ministério Guarde a Fé. Obrigado por se unirem a nós para estudarmos cuidadosamente a palavra de Deus mais uma vez. Precisamos da palavra de Deus mais que nunca, e é nosso privilégio unir os princípios que encontramos inseridos nas Escrituras ao nosso viver diário. E como estamos vivendo nos últimos dias, é decisivo que entendamos a Bíblia como um livro profético que revela vários detalhes sobre nosso tempo.

A história de Elias está cheia de conexões naturais para as questões do final dos tempos que enfrentamos hoje. Se apenas passarmos tempo com Deus e estudarmos Sua palavra, Ele vai saciar a sede de qualquer alma seca e sedenta. Eu preciso disso. Você precisa disso. E Deus já proveu. Eu peço para que Deus providencie a vocês ao estudarmos hoje.

Antes de começarmos, quero contar a vocês sobre o Highwood Health Retreat, nosso ministério base na Austrália. Completamos a segunda fase das reformas necessárias. O departamento de terapia está todo terminado com um design completamente novo e agora estamos recebendo hóspedes novamente, cujas vidas estão sendo transformadas pela mão curadora do Senhor.

Foi emocionante! Deus enviou 21 voluntários que nos ajudaram em dezembro. Depois, Ele enviou quase mais 20 voluntários para ajudar em janeiro. Alguns deles ainda estão trabalhando conosco em outros projetos.

Eu também fiquei surpreso em como Deus providenciou os recursos para este grande projeto. Precisávamos de quase 150 mil reais para o departamento de terapia. Começamos com algumas economias, mas não chegava nem perto de toda essa quantia. No entanto, Ele tinha todos esses voluntários comprometidos a irem por todo o mundo, inclusive Canadá, Inglaterra, EUA, Malásia, Alemanha, Nova Zelândia, e por toda a Austrália. Eu não podia dizer para eles não virem. Mas ainda necessitávamos de recursos financeiros para comprar todos os materiais de construção necessários.

Tivemos que seguir pela fé crendo que Deus providenciaria. Colocamos nosso “pé no Jordão” e começamos a trabalhar, e as “águas se abriram”. Era como se Deus simplesmente “soltasse” e abrisse as janelas do céu. Primeiro, eu recebi uma ligação de uma querida irmã na Austrália que disse que queria ajudar a obra de Deus no Highwood com uma doação de mais de 70 mil reais. Depois, outra pessoa enviou 17 mil reais para outro escritório nosso nos EUA naquele mesmo dia. Alguns dias depois outra doação de 2.400 reais de outro australiano, e assim por diante. Muitos outros contribuíram ao longo dos meses de novembro e dezembro. E sempre que necessitamos de verbas para comprar materiais, as verbas estavam lá. Louvado seja Deus por Sua bondade e obrigado a cada um que tem ajudado nesse esforço! E um caloroso agradecimento a todos vocês que são voluntários também.

E por falar nisso, essa é a hora de você se planejar a se unir a nós para a terceira fase de nossas reformas nos próximos meses de dezembro e janeiro. Temos mais algumas coisas a fazer para finalizar o retiro de saúde quando não houver hóspedes. São necessárias reformas na cozinha e na despensa. Também necessitamos instalar suítes ou banheiros, em mais quatro quartos de convidados. Caso deseje se envolver neste projeto especial, entre em contato comigo para que possamos manter contato.

Ao longo do ano de 2014, precisamos obter nova mobília para nossa sala de estar, sala de jantar e quartos. O que temos agora não é adequado para nossas necessidades. Todas essas reformas provavelmente custarão outros 144 mil reais. Por favor, orem para que Deus nos envie as verbas para finalizar a importante obra na Highwood. E orem por nossa equipe e nossos voluntários. Eles estão trabalhando muito e com muita dedicação.

Portanto, para aqueles que estiverem interessados, estamos planejando um passeio turístico de estudo valdense este ano durante a primeira semana de setembro na Itália. Betsy e eu lideramos muitos desses passeios turísticos ao longo dos anos. O turismo é cheio de significância espiritual para o fim dos tempos. É uma viagem com um aprendizado maravilhoso tanto para crianças como para adultos. Caso esteja interessado em participar, entre em contato conosco para maiores informações.

Além disso, certifique-se de assinar nossa newsletter Por dentro do Guarde a Fé, caso ainda não o tenha feito. A newsletter Por Dentro do Guarde a Fé é publicada mensalmente e está cheia de histórias comoventes sobre como o Guarde a Fé tem mudado vidas para o Senhor. Não perca.

Agora, ao começarmos nosso estudo sobre Elias, vamos orar. Pai celeste, obrigado por Jesus Cristo que é o capitão de nossa salvação. Obrigado por nos amar com um amor infinito. Que possamos ser preenchidos pelo Teu Santo Espírito, com o amor em troca. Muito obrigado por ter nos dado a Bíblia e pela história de Elias. À medida que estudarmos mais hoje, abra nossa mente para que possamos ver e entender o princípio dos tempos em que vivemos de uma maneira nova a vida. Em nome de Jesus eu oro, amém.

Amigos, vamos abrir nossa Bíblia em 1 Reis 21:25. Precisamos entender o que Elias estava confrontando no Monte Carmelo. Aqui está a passagem que confirma que Acabe trabalhou para lançar por terra a verdadeira adoração a Deus. “Porém ninguém fora como Acabe, que se vendera para fazer o que era mau aos olhos do Senhor; porque Jezabel, sua mulher, o incitava”.

Diz que Acabe se vendeu para fazer maldade. Acabe provavelmente se casou com Jezabel para que pudesse ter um tratado com os sidônios, uma tribo fenícia que controlava a terra entre Israel e o Mar Mediterrâneo. Israel precisava acessar o mar por propósitos econômicos e comerciais. Mas o rei de Sidom, Etbaal, pai de Jezabel e sumo sacerdote de Baal, pode muito bem ter extraído uma promessa de Acabe para unir os dois países por meio da religião a fim de casar sua filha e celebrar o tratado. Acabe pode ter pensado que ao se casar poderia recusar o acordo. Mas ele não entendia o caráter de Jezabel. Ela trouxe consigo centenas de sacerdotes de Baal e profetas dos bosques. Eles ajudariam a organizar Israel para a adoração a Baal. E não havia nada que Acabe pudesse fazer.

Vocês perceberam quem despertou Acabe a fazer toda essa obra má? Foi Jezabel. Mas o que significa que Jezabel o despertou? Amigos, isso significa que Jezabel não fez nada por acaso. Ela sabia que poderia fazer com que Acabe cedesse às suas exigências se ela alimentasse suas paixões carnais, que envolviam a adoração a Baal. Ele era provavelmente um visitante regular às jovens prostitutas na casa de Baal. A casa de Baal era o “bairro da luz vermelha” central de Samaria. Mas havia templos idólatras de Baal a Astarote em diversos outros lugares também.

Você deve estar se perguntando como eu sei disso. A Bíblia nos conta que a adoração da natureza sempre foi condenada por Deus. “Não terás outros deuses diante de mim”, é o primeiro dos Dez Mandamentos dados no Monte Sinai. Mas por alguma razão, havia uma sede do povo de Deus para adorar os deuses da terra, do fogo, do ar, o sol a lua e as estrelas. E os Baals e Astarotes eram esses deuses. O deus principal, Baal, era o deus da tempestade que supostamente fazia com que a terra fosse fértil e desse seus frutos. Os outros Baals controlavam outros elementos da natureza.

Israel foi punida porque entrou na adoração da natureza pagã. Esta sede pela adoração à natureza é descrita na linguagem sexual mais gráfica na Escritura, talvez para impressioná-las com a ofensividade do problema. 

Ouça como Jeremias descreve Judá que também com o tempo apostatou-se na adoração à natureza. Está em Jeremias 2:20. “Contudo em todo o outeiro alto e debaixo de toda a árvore verde te andas encurvando e prostituindo-te” e no versículo 24 ele diz: “Jumenta montês, acostumada ao deserto, que, conforme o desejo da sua alma, sorve o vento, quem a deteria no seu cio? Todos os que a buscarem não se cansarão; no mês dela a acharão”.

Mas Jeremias também fala da idolatria de Israel com relação à sexualidade. No capítulo seguinte (versículo 9) ele diz: “E sucedeu que pela fama da sua prostituição, contaminou a terra; porque adulterou com a pedra e com a madeira”. Esta adoração pagã da natureza foi descrita desta forma porque o culto à prostituição e o misticismo sexual foram uma grande parte do processo de adoração à natureza, e é muito convenientemente representado pelo adultério espiritual. A fertilidade da agricultura estava entrelaçada com a fertilidade sexual em uma cultura de natureza essencialmente pornográfica que corrompeu quase a nação inteira de Israel.

Baal era o deus da tempestade e controlava a chuva. Era assim que funcionava na cultura fenícia. Acontecia que no conceito místico de Baal, ele tinha que lutar uma vida cíclica e esforço de morte a cada ano com o deus da morte, Mot. Baal seria desafiado e temporariamente submetido por Mot no calor seco do verão. E Mot iria deixá-lo para morrer. Mas por causa dos rituais de fertilidade, os ritos devassos praticados pelos humanos, ele seria ressuscitado no outono para derrotar Mot com temperaturas mais frias, tempestade e chuva.

O clima caótico no outono era atribuído a esta luta entre os dois deuses quando Baal voltou à vida. O ciclo da seca poderia ser aliviado por duas coisas no culto religioso, prazer no êxtase, ou seja, prazer sexual, para acalmar Baal e a automutilação ou dor para acalmar o deus Mot. Portanto, os sacerdotes de Baal cortariam a si mesmos com facas e lanças para acalmar o deus da morte ou o deus que trouxe a seca, enquanto que por outro lado, eles participariam do abandono sexual para acalmar Baal, o deus da tempestade, e fazer com que ele trouxesse a chuva novamente. Este ritual devasso era cumprido ao longo do ano com o ciclo da agricultura e era realizado para mostrar ao povo como adorar a esses deuses para que a sociedade ficasse estável e houvesse muita comida.

Britannica – Baal [2]
Ba‘al Worship in the Old Testament [3]
Wikipedia – Mot [4])
Wikipedia – Baal [5]

Mas isso não tinha nada que ver com Israel. A religião deles não era pagã. Adotar esses costumes e rituais era lançar por terra sua fidelidade ao Deus vivo do céu. Envolver-se neste culto religioso era uma abominação e um insulto a Jeová. Foi a pior apostasia e pediu medidas severas.

Ouça ao que Oseias diz sobre Israel no capítulo 2:12, 13. “E devastarei a sua vide e a sua figueira, de que ela diz: É esta a minha paga que me deram os meus amantes; eu, pois, farei delas um bosque, e as feras do campo as devorarão. Castigá-la-ei pelos dias dos Baalins, nos quais lhes queimou incenso, e se adornou dos seus pendentes e das suas joias, e andou atrás de seus amantes, mas de mim se esqueceu, diz o Senhor”.

É interessante que as pessoas que adoravam os falsos deuses também se enfeitavam com brincos e com joias e são classificadas como prostitutas. Vocês acham que Deus vê o adorno exterior da mesma forma ainda hoje? Eu acho que muitas pessoas não percebem isso. Talvez elas façam isso por ignorância e Deus finge que não vê até que Ele as traz à verdade sobre o adorno. A Bíblia associa o uso de adornos com a falsa adoração e perversidade. Quando não temos a beleza interior do adorno do coração, sentimos que temos de colocar outra coisa para nos deixar bonitos, quando, na realidade, isso apenas diminui a nossa imagem aos olhos de Deus e do homem.

A adoração a Baal envolvia tanto prostitutas mulheres como homens.
Em 1 Reis 14:24, diz: “Havia também sodomitas na terra; fizeram conforme a todas as abominações dos povos que o Senhor tinha expulsado de diante dos filhos de Israel”. A palavra em hebraico traduzida como sodomitas refere-se aos homens que se prostituíam no templo. Esses prostitutos se conduziam de uma maneira não natural, por isso Deus os destruiu. Eles praticavam uma afeição anormal: “homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro” Romanos 1:27. A adoração a Baal era notada por sua libertinagem com ambos os gêneros. Os prostitutos eram parte da cultura do templo.

A adoração a Baal também envolvia o infanticídio. Ouça a descrição de Israel em 2 Reis 17:16, 17. “E deixaram todos os mandamentos do Senhor seu Deus, e fizeram imagens de fundição, dois bezerros; e fizeram um ídolo do bosque, e adoraram perante todo o exército do céu, e serviram a Baal”. Isso refere-se aos dois bezerros que Jeroboão eregiu em Dã e Betel (vocês encontrarão esse relato em 1 Reis 12:28, 29). Mas, então, somos informados desse sacrifício chocante. O versículo 17 diz: “Também fizeram passar pelo fogo a seus filhos e suas filhas, e deram-se a adivinhações, e criam em agouros; e venderam-se para fazer o que era mau aos olhos do Senhor, para o provocarem à ira”.

Então, eles sacrificavam seus filhos a Baal! Onde eles conseguiam crianças para que pudessem sacrificá-las? Uma forma de consegui-las era quando uma prostituta do culto ficasse grávida, eles não abortavam a criança, mas deixavam que nascesse. Quando o bebê nascesse, tinha então um sacrifício. Certamente outras crianças eram sacrificadas também.

Esta terrível prática de sacrificar crianças era observada com horror por Elias e as 7 mil pessoas que não tinham se curvado perante Baal. Imaginem o horror daqueles que amavam a Deus. Imaginem a repulsa e nojo no coração daqueles que testemunharam estas coisas. A adoração a Baal era doentia. Israel caiu na sensualidade , libertinagem e assassinato por meio do infanticídio. A sensualidade se tornou o pecado da época. Vocês pensam que hoje, a sensualidade é o pecado da época? É o que nos foi dito no livro Medicina e Salvação, página 142.

Notem também que assim como Acabe, as pessoas “se venderam para o mal”. Elas esperavam algum tipo de benefícios por suas maldades. E não é assim que Satanás faz negócios? Ele vai sugerir que teremos alguns benefícios ao sacrificar nossa moralidade. Mas no final tudo é decepção, arrependimento e tristeza e podemos perder nossa salvação eterna, como resultado.

Jezabel acendeu um fogo de paixão carnal em Acabe que ardia fora de controle. Ele era viciado no pecado sexual. Era muito parecido com aqueles que são viciados em pornografia. Quando um homem é viciado em pornografia, ele não consegue pensar em nada mais. O coração de Acabe estava tão seco espiritualmente, que tudo o que estava lá dentro era pavio para acender o fogo da paixão. E o fogo no seu seio era aquecido em uma busca enlouquecida de gratificação sexual apesar da adoração a Baal. Jezabel fez de sua fraqueza e seu caráter vacilante uma tocha flamejante. Sob o incentivo de Jezabel, Acabe se tornou um homem bastante imoral. E Jezabel brincava com suas paixões ardentes integrando-o profundamente em sua adoração libertina a Baal.

Mas apenas levar Acabe a mergulhar em sua libertinagem e pecado não era suficiente para Jezabel. Ela o usou para fortalecer as leis e decretos exigindo a adoração a Baal por todo o país, e praticamente todo o Israelse prostituiu perante Baal. A adoração a Baal tornou-se uma religião imposta pelo estado. Vocês sabem que a Bíblia ensina que nos últimos dias haverá uma religião imposta pelo estado? Sim, é verdade.

Deixa eu dar a vocês só mais uma história dos tempos. Vocês devem se lembrar de que a apostasia começou com Jeroboão, o filho de Nebate, que assumiu o controle do reino do norte quando ele foi dividido após o reinado de Salomão. Jeroboão fez dois bezerros e instituiu leis para que o povo pudesse adorá-los. Ele também queimou os sacerdotes e levitas e, em seu lugar, ordenou aqueles a quem Deus não tinha ordenado e os colocou no lugar de adoração, mesmo as pessoas mais inferiores. Depois, cada um dos seis reis que o seguiram fez pior que os anteriores.

Onri, o pai de Acabe, acrescentou à maldade com a criação de novas leis e estatutos para pressionar ou mesmo forçar Israel a adorar falsos deuses. 1 Reis 16:25 diz que “Onri, porém, fez o que o Senhor reprova e [no que se refere à falsa adoração como quase sempre acontece quando Deus diz] pecou mais do que todos os que reinaram antes dele”.

Até então, a verdadeira adoração a Deus já estava com problemas em Israel. O profeta Miquéias, no capítulo 6:16 passa o juízo sobre Israel dizendo que “vocês têm obedecido aos decretos de Onri” na terra. Em outras palavras, Onri começou a fazer as leis estritas de adoração que colocaria em execução a falsa adoração. Estes estatutos já estavam em vigor quando Acabe se casou com Jezabel. Jezabel começou a completar o que seu sogro tinha feito. Jezabel era uma perseguidora porque essa é a natureza dos líderes pagãos. E ela fez com que Acabe também fosse um perseguidor.

As coisas ficaram tão ruins em Israel que aqueles que queriam permanecer fiéis a Deus tiveram que esconder sua adoração. E isso era brutal. Jezabel e seus subordinados, juntamente com os agentes de Acabe, perseguiam essas pessoas. Muitos dos profetas do Senhor foram condenados à morte por Jezabel, e os que permaneceram tiveram que se esconder nas cavernas e estavam essencialmente fora de serviço. Não eram considerados úteis. Não podiam mais encorajar as pessoas a serem fiéis a Deus, o que deve ter sido muito difícil para eles. Jezabel tinha uma grande agência de execução que incluía 450 profetas de Baal e 400 profetas dos bosques. Eles eram importantes para todo o sistema, tanto como sacerdotes da adoração pagã para ajudar a certificar que todos cumpriam com as leis de adoração que aparentemente tinham sido impostas por Onri, pai de Acabe, e fortalecidas por Acabe e Jezabel.

Acabe e o povo ficaram viciados na libertinagem. A paixão carnal é assim, meus amigos. Conduz à degradação moral mais grosseira e mais poluída possível. Acabe foi conduzido como um touro com uma argola no nariz, mais e mais fundo no pecado. A adoração a Baal era perigosa. Eles não tinham toda a tecnologia que temos hoje, como publicações impressas, filmes e internet. Então, Acabe descarregava suas paixões na casa de Baal com as prostitutas do templo. Ele era um perfeito escravo de suas paixões e estava em sua mais frágil disposição e comando. Ele perdeu o respeito por si mesmo e pelos outros. Até mesmo a própria vida não era preciosa para ele. Ele era culpado do sangue daqueles que se opunham a ele. 

Amigos, vocês conhecem alguém que vendeu a si mesmo para operar maldades? Há muitos hoje, mesmo entre os que professam ser filhos de Deus, que ainda se vendem por um pouco de vantagem financeira ou social e farão maldades para apreciar os prazeres do pecado por um tempo. E isso geralmente envolve a sexualidade, de uma ou de outra forma.

Acabe se submeteu voluntariamente ao domínio do pecado. Sua vida é um testemunho de quão baixo podemos ir se nos deixarmos escorregar no pecado. E tudo isso porque Acabe era um israelita. Imaginem a alegria de Satanás quando ele tinha Acabe sob seu controle.

Foi isso que levou ao confronto de Elias com Acabe. Foi por esse motivo que Elias rogou a Deus para que a chuva parasse. Ele rogou a Deus para parar a maldade, trazendo a seca sobre a terra.

Deixem-me ler uma passagem do livro Profetas e Reis, página 55. Ela nos dá um vislumbre da condição de como eram as coisas naquele tempo terrível.

“Sob a danosa influência do reinado de Acabe, Israel afastou-se do Deus vivo, e corrompeu seus caminhos perante Ele. Por muitos anos tinham estado a perder o senso de reverência e piedoso temor; e agora parecia não haver ninguém que ousasse expor a vida colocando-se abertamente em oposição à predominante blasfêmia. A escura sombra da apostasia cobria toda a terra. Imagens de Baal (deuses masculinos) e Astarote (deuses femininos) estavam em todo lugar para serem vistas. Templos idólatras e bosques consagrados em que se adoravam as obras das mãos dos homens foram multiplicados. O ar estava poluído com o fumo dos sacrifícios oferecidos aos falsos deuses. Montes e vales ressoavam com o perturbado clamor de um sacerdócio pagão que sacrificava ao Sol, à Lua e às estrelas”.

Elias foi movido pelo Espírito Santo para confrontar esta iníqua e terrível situação. Um homem com uma constituição muito forte era enviado por Deus para confrontar o malvado rei. Ele não era alguém que pudesse ser intimidado por ameaças e intimidações. Não era alguém que pudesse ser dissuadido pela mensagem de Deus por causa de posições ou políticas. Ele estava firme e decidido. Espiritualmente falando, ele era um gigante. Vocês pensam que Deus precisa de homens assim hoje em dia?

No livro Profetas e Reis, página 69 “Deus chama homens como Elias…, homens que levarão fielmente Sua mensagem sem considerar as consequências; que corajosamente falarão a verdade, ainda que isso signifique sacrifício de tudo que possuem”.

Vejam, quando Elias foi se esconder, ele não tinha nada além das roupas do corpo. Ele não tinha um lar para onde ir. Eles o encontrariam lá. Ele não podia sair com seus amigos. Ele seria encontrado lá. Deus sabia exatamente onde Elias estaria seguro, sozinho no deserto, junto ao ribeiro de Querite. Acabe e Jezabel foram deixados com as consequências da paralisação de chuva. E não havia nada que eles pudessem fazer. E isso era severo. 1 Reis 18:2 diz que havia uma fome extrema em Samaria. E os sacerdotes de Baal e os profetas dos bosques fizeram todos os seus encantamentos, seus ritos imorais e eles usavam todas as ferramentas de seu ofício para que o deus imaginário Baal enviasse chuva. E isso aconteceu por anos — 3 anos e meio, na verdade. Um ano junto ao ribeiro de Queribe ou quanto tempo tenha durado o ribeiro do Queribe, e mais de 2 anos e meio com a mulher de Sarepta.

A seca em Israel foi muito, muito ruim. Ouça o que está escrito em Profetas e Reis, páginas 59 e 60. Quando Elias pronunciou a sentença do juízo de Acabe: “As palavras do profeta tiveram cumprimento imediato. Os que a princípio estavam inclinados a escarnecer ao pensamento da calamidade, logo tiveram ocasião para reflexão séria, porque depois de poucos meses a terra, não refrigerada pelo orvalho nem pela chuva, tornou-se ressequida e secou-se a vegetação. Com o tempo, os rios de que nunca se ouvira houvessem secado, começaram a baixar, e os regatos a minguar. No entanto os dirigentes do povo instavam com ele a que confiassem no poder de Baal, e desprezassem como ociosas as palavras do profeta Elias. Os sacerdotes ainda insistiam em que era pelo poder de Baal que as chuvas caíam. Não temais o Deus de Elias, nem tremais diante de suas palavras, insistiam eles; é Baal quem produz as colheitas em sua estação própria, e provê para o homem e para os animais…

“Passa-se um ano, e não há chuva. A terra está calcinada como que pelo fogo. O abrasador calor do Sol destrói a pouca vegetação que sobreviveu. Os rios secam, e os rebanhos mugindo e balando vagueiam desesperados de um para outro lugar. Campos outrora florescentes, tornam-se como escaldantes desertos de areia — uma desoladora ruína. Os bosques dedicados ao culto dos ídolos estão desfolhados; as árvores das florestas, descarnados esqueletos da natureza, não dão sombra. O ar é seco e sufocante; tempestades de poeira cegam os olhos e quase impedem a respiração. Cidades e vilas outrora prósperas tornaram-se lugares de lamento. Fome e sede atingem homens e animais com terrível mortalidade. A inanição, com todos os seus horrores, aproxima-se cada vez mais”.

Agora imaginem como deve ter sido. Suportar a fome é algo terrível. No entanto, isso era o que estava acontecendo. O que significa “terrível mortalidade”? Significa, meus amigos, que os animais e as pessoas estavam morrendo aos montes. E tinha luto por todo lugar.

Isso é muito sério! No entanto, se Acabe tivesse consciência, Jezabel tinha certeza que ele não deu voz a isso. “Jezabel recusou inteiramente reconhecer a seca como juízo de Jeová. Decidida em sua determinação de desafiar o Deus do Céu, uniu-se com aproximadamente todo o Israel em denunciar Elias como a causa de toda a sua miséria. Não havia ele dado testemunho contra suas formas de culto? Se tão-somente ele fosse afastado do caminho, argumentava ela, a ira de seus deuses se aplacaria, e seus problemas teriam fim”. Está no livro Profetas e Reis, página 60.

E ouça o que está no mesmo livro na página 66. “Assim, aconteceu que Deus estava agora visitando o Seu povo com os mais severos de Seus juízos. A predição de Elias estava tendo terrível cumprimento. Por três anos, o mensageiro do castigo tinha sido procurado em cidade após cidade e nação após nação. Por intimação de Acabe muitos reis tinham feito juramento de honra de que o estranho profeta não se encontrava em seus domínios. Contudo a busca continuava, pois Jezabel e os profetas de Baal odiavam Elias com ódio mortal, e não poupavam esforços para trazê-lo ao alcance de seu poder. E ainda não havia chovido”.

Vejam que Jezabel teria matado Elias se ela pudesse, porque ela o culpava por causa da seca. Jezabel e Acabe caçaram Elias por todo o país e países vizinhos. Profetas e Reis, página 60 diz: “Instigado pela rainha, Acabe instituiu a mais diligente busca para descobrir o lugar de esconderijo do profeta”. E Jezabel era implacável. Eles enviaram espias por toda a terra de Israel. A vigilância era muito penetrante. E ela enviou diplomatas e embaixadores a todos os países estrangeiros ao redor também.

Vou continuar lendo: “Às nações circunvizinhas, de longe e de perto, enviou mensageiros em busca do homem que odiava, mas também temia; e em sua ansiedade por tornar a busca tão completa quanto possível, [Acabe] exigia desses reinos e nações um juramento de que nada sabiam do paradeiro do profeta”.

Eles procuraram em todos os lugares, era o que eles pensavam. À medida que a fome se arrastava, e tornava-se mais intensa, ele, sem dúvida, redobraram seus esforços para encontrar o homem a quem eles culpavam por todos os seus problemas. Jezabel havia perdido a razão.

Ela fez com Elias a mesma coisa que será feita com aqueles que apoiarem a lei de Jeová nos últimos dias. Assim sendo, a história de Elias é profética sobre nossos tempos. Vamos nos lembrar que as Escrituras foram escritas para nós, sobre quem os fins do mundo virão.

Ouça o que temos no livro O Grande Conflito, página 589. “Os que honram a lei de Deus têm sido acusados de acarretar juízos sobre o mundo, e serão considerados como a causa das terríveis convulsões da Natureza, da contenda e carnificina entre os homens, coisas que estão enchendo a Terra de pavor. O poder que acompanha a última advertência enraiveceu os ímpios; sua cólera acende-se contra todos os que receberam a mensagem, e Satanás incitará a maior intensidade ainda o espírito de ódio e perseguição”.

Então, vejam, o povo de Deus será acusado falsamente. Apontar o dedo e transferir a culpa é uma resposta humana natural quando o coração não quer entender a verdade que condena seus pecados.

Mas a mensagem de Elias não era sobre a punição tanto como era sobre o arrependimento e o perdão. Deus queria perdoá-los e curá-los, mas de alguma forma Ele teve que acordá-los para a sua loucura.

Mas a busca por Elias foi em vão. O profeta estava seguro, protegido por Deus embora tivesse uma sentença de morte pairando sobre ele. Mas a sociedade de vigilância de Jezabel fracassou com ela.

Em nossos dias, Satanás quer ter certeza que a sociedade de vigilância não falhará desta vez. Ele acha que com todos os equipamentos eletrônicos e softwares, pode arrochar os parafusos e conseguir o controle de todos. Ele quer assustar vocês. Mas se vocês estiverem em Cristo, não há o que temer. Se vocês estiverem em Cristo, não há razão para tremer perante os homens. Deus tem Suas maneiras de lidar com todos os equipamentos e softwares. É fácil para Ele. A parte difícil é conseguir nossa cooperação e entrega.

Notem que Acabe procurava por Elias. Vocês acha que é o que eles vão fazer com vocês? Com todas as câmeras e espionagem digitais que estão disponíveis hoje, eles estarão usando todas as ferramentas lá fora para descobrir quem é leal ao Deus do céu. Assim como Elias, teremos que fugir para as partes mais remotas da terra. Ouça o que temos no livro O Grande Conflito, página 626.

“Quando o decreto promulgado pelos vários governantes da cristandade contra os observadores dos mandamentos lhes retirar a proteção do governo, abandonando-os aos que lhes desejam a destruição, o povo de Deus fugirá das cidades e vilas e reunir-se-á em grupos, habitando nos lugares mais desertos e solitários. Muitos encontrarão refúgio na fortaleza das montanhas”.

Lembram que Elias orou para que não chovesse? Encontramos isso em Tiago 5:17, 18. Vocês acham que ele parou de orar quando começou a seca? Eu acho que não. Na verdade, eu penso que ele intensificou sua oração durante a seca. Ele não tinha nada mais para fazer lá no ribeiro de Queribe. Pelo menos ele podia falar com a viúva de Sarepta quando estava com ela. Mas no ribeiro, ele não tinha nada mais a fazer a não ser orar. Sobre o que vocês acham que ele orou? Elias orou para que Deus transformasse o coração das pessoas de volta para o Deus do céu. Ele orava para que a seca pudesse acordá-los de seus pecados e sua rebelião.

Ouça ao que está em Profetas e Reis, página 64. “Através dos longos anos de estiagem e fome, Elias orou fervorosamente para que o coração dos israelitas volvesse da idolatria para a fidelidade a Deus. Com paciência o profeta esperou, enquanto a mão do Senhor caía pesadamente sobre a terra flagelada. Ao ver as provas de sofrimento e privação multiplicarem-se por toda a parte, seu coração se confrangeu de tristeza, e almejou possuir o necessário poder para efetuar uma rápida reforma. Deus mesmo, porém, estava a realizar Seu plano, e tudo que Seu servo podia fazer era continuar orando, com fé, e aguardar a ocasião oportuna para agir decididamente”.

E amigos, quando dermos a última mensagem do evangelho, quando falarmos à última alma não convertida sobre entregar o coração a Cristo, quando ganharmos e gastarmos nosso último dinheiro, quando pregarmos nosso último sermão, e tivermos fugido para as montanhas procurando refúgio, também não teremos nada mais a fazer a não ser orar. Isso é tudo. Orar pelas últimas almas que podem ainda, no último momento, entregar o coração ao Senhor Deus de Israel. Podemos não fazer muito, mas podemos orar. Podemos suplicar proteção a Deus, pelas almas e companheiros de fé que permanecerão fiéis.

Finalmente, Deus pediu para Elias encarar Acabe. Era hora de ação. Agora, vamos olhar em 1 Reis 18:1: “Depois de um longo tempo, no terceiro ano da seca, a palavra do Senhor veio a Elias: “Vá apresentar-se a Acabe, pois enviarei chuva sobre a terra”’.

Elias pode ter pensado após alguns anos, que a seca tinha ido longe o suficiente. Mas ele esperava as instruções de Deus. A seca estava em seu quarto ano quando Deus pediu que ele retornasse a Israel.

Agora, por favor entendam isso. É uma coisa boa em um tempo ruim, quando Deus chama seus mensageiros e ministros para fora de sua obscuridade. É um sinal de que vai chover! Eles podem ser odiados pela maioria, temido por muitos, mas os justos conhecem seu tempo. Eles se alegram de ouvir a mensagem clara do Senhor. Não é assim hoje, meus amigos? Em um mundo onde há muita maldade, em um tempo quando há tantos falsos ensinos, em um tempo onde há tanta corrupção e apostasia entre aqueles que clamam ser seguidores de Cristo, vocês não amam ouvir mensageiros fiéis dando a velha mensagem da verdade? É como água a uma alma seca e com sede.

O retorno de Elias a Israel era para ser assim. Os 7 mil que não dobraram os joelhos a Baal devem ter se perguntado se Elias retornaria. E quando ele voltou, eles devem ter se alegrado na esperança que algo pudesse ser feito, não apenas para trazer chuva sobre a terra, mas trazer a chuva do espírito no coração das pessoas.

Sim, o testemunho direto do Senhor por meio de seus mensageiros fiéis é um som de boas-vindas para aqueles que amam a Deus. Quando não há profeta o povo perece espiritualmente. Elias não estava mais em Israel e não esteve trabalhando por 3 anos e meio. Os profetas do Senhor, os trabalhadores da Bíblia das escolas dos profetas, estavam escondidos e também estavam inativos. O povo de Israel estava debilitado. Houve uma seca na terra, mas havia uma seca ainda maior na alma deles.

Portanto, Elias obedecia ao Senhor. Ele disse suas últimas palavras à viúva de Sarepta e começou sua jornada de volta para Israel para encontrar-se com Acabe. Deve ter sido difícil para Elias partir de sua pequena família que agora significava tanto para ele. Elias deve ter ensinado muito a ela. Ela estava enraizada e fundamentada, sem dúvida, em sua fé em Deus. Se ela foi batizada ou não, não fazemos ideia.

Tenho certeza que foi difícil para a viúva ver Elias partir. Sem dúvida ele prometeu a ela que o Deus vivo de Israel continuaria a cuidar dela. Talvez ainda havia o milagre do pão e do azeite que supria suas necessidades mesmo após Elias ter ido embora. Há muita coisa que não sabemos, porque nunca mais ouvimos falar dessa mulher. Eu não sei vocês, mas eu quero me encontrar com ela no céu algum dia. Eu suspeito que ela estará lá, e vocês?

Agora, Acabe e Obadias tiveram um problema. Seus animais estavam morrendo e eles não teriam muitos até esse tempo. Não havia pasto para eles e as pessoas não tinham comida armazenada para os animais. O que eles iam fazer?

1 Reis 18:3-7: “Acabe convocou Obadias, o responsável por seu palácio, homem que temia muito o Senhor. Porque sucedeu que, destruindo Jezabel os profetas do Senhor, Obadias tomou cem profetas, e de cinquenta em cinquenta os escondeu numa cova, e os sustentou com pão e água. E disse Acabe a Obadias: Vai pela terra a todas as fontes de água, e a todos os rios; pode ser que achemos erva, para que em vida conservemos os cavalos e mulas, e não percamos todos os animais. E repartiram entre si a terra, para a percorrerem: Acabe foi à parte por um caminho, e Obadias também foi sozinho por outro caminho. Estando, pois, Obadias já em caminho, eis que Elias o encontrou; e Obadias, reconhecendo-o, prostrou-se sobre o seu rosto, e disse: És tu o meu senhor Elias?”

Obadias é uma pessoa maravilhosa. Ele é um bom homem. Ele é um grande homem no palácio do rei Acabe e da rainha Jezabel. Ele é a cabeça, ou governador do palácio de Samaria. Ele tem uma posição de honra, poder e confiança. É o único em que eles confiam para as coisas práticas. Ele consegue tudo por eles.

Mas Obadias é um desses homens raros de alta posição que ainda é fiel a Deus desde sua juventude. Aqueles que começam a temer o Senhor, em sua juventude, muitas vezes têm uma distinção de fidelidade ao Senhor, depois que crescem. A grandeza de Obadias brilha de maneira ainda mais brilhante por causa do que ele fez para preservar os profetas de Deus. Talvez, ele conseguiu manter o silêncio sobre o que acontecia ao redor do palácio. Se Jezabel descobrisse o que ele fez com os profetas do Senhor, ela o teria executado. No entanto, de alguma forma, ele manteve esses profetas vivos, bem debaixo do nariz de Jezabel. Ele arriscou sua vida por eles. Deus sempre tem recursos, meus amigos. Geralmente eles estão em lugares elevados e posições de honra e confiança. E Ele os tem em espera para o momento em que precisar deles. Vocês podem ter certeza que Deus sabe o que está fazendo.

E podem se perguntar como é que um homem tão mau quanto Acabe e uma mulher má, como Jezabel, escolhem um homem que era tão eminentemente bom para cuidar de todos os seus assuntos. Mas não há resposta para isso. Mesmo os maus querem alguém em quem eles possam confiar para cuidar deles. Eles precisavam de alguém honesto, habilidoso e inteligente. O homem que é fiel ao seu Deus será fiel a seu soberano terreno, embora ele seja ímpio e mau.

Obadias era incapaz de reformar Acabe. Nem Acabe era capaz de corromper Obadias. Eles estavam ambos estabelecidos em suas personalidades. Quem está sujo, suje-se ainda, e quem é santo, santifique-se ainda. Vocês acham que será dessa forma no tempo de angústia, quando Cristo sair do Lugar Santíssimo no santuário celeste e declarar: “Está consumado?” Sim, é o que a Bíblia diz. E aqui está mais um paralelo profético para os últimos dias da história da Terra.

Temer a Deus é muito importante. Temer a Deus em tempos e lugares bons não é tão difícil. Mas manter esse temor a Deus em tempos e lugares difíceis, é evidência genuína de temor ao Senhor. É fácil quando temos liberdade para fazer isso. Mas o temor genuíno a Deus é testado pela perseguição dos tempos difíceis. Brilha mais e é mais poderoso quando sob adversidade.

Obadias era um remanescente de Deus entre todas as classes de pessoas, altas e baixas, ricas e pobres. Ele era um dos 7 mil que não se prostraram perante Baal. Deus nunca ficou sem um remanescente, meus amigos. Quando o mal está em ascendência, Deus sempre tem aqueles que são fiéis a Ele. Ele ainda tem seus remanescentes hoje. Que maravilha pertencer a esse grupo! São os que sobreviverão à crise final. O problema é que ainda estamos em tempos bons. Não estamos em tempos difíceis. E estamos ociosos em nossa fidelidade com o Senhor. O teste e o julgamento vão surpreender a maioria de nós.

Acabe e Obadias saíram pessoalmente e procuraram por pasto e água para os cavalos e mulas para que não perdessem todos os animais. Deus ordenou Acabe para ver como as coisas ruins realmente estavam com seus próprios olhos por conta do julgamento contra ele. Talvez, isso aconteceu para que ele fosse mais receptivo aos conselhos de Elias, que iria guiá-lo para a única maneira em que a seca poderia ser interrompida.

É interessante que Acabe estava preocupado em manter os animais vivos, mas não estava preocupado com seu povo. Ele queria encontrar água para os animais irracionais, mas não estava interessado em trazer vida espiritual para os assuntos de seu reino. Ele estava ocupado tentando proteger a si mesmo do sintoma da doença, não a causa. Acabe estava mais preocupado com seus bens que com sua própria alma.

Mas era como se Elias tivesse sumido pelo espírito do Senhor. E quando Elias apareceu de repente na frente dele enquanto ele estava procurando por água, seu primeiro pensamento foi que Elias tivesse sido enviado de volta em espírito para Israel. E ele teme o que pode vir depois.

Eu particularmente acho que é muito irônico como que, ao final do seu ministério na terra, Deus realmente leva o espírito de Elias em uma carruagem gloriosa, para nunca mais ser visto em pessoa novamente, exceto no monte da transfiguração com Cristo. Vejam, enquanto na terra, Elias estava profundamente interessado em Cristo e Sua missão.

Elias foi escolhido, juntamente com Moisés, para estar com Cristo no monte da transfiguração como uma testemunha para a importância do seu trabalho em conexão com a obra de Cristo. Ele estava lá com Moisés porque seu trabalho é um tipo de trabalho que deve ser feito em conjunto com o povo de Deus nos últimos dias. A lei, representada por Moisés, porque Deus deu a ele os Dez Mandamentos no Monte Sinai, e o testemunho direto de Elias são necessários para entender a graça salvadora de Jesus. Ambos caminham lado a lado.

Amigos, nunca entenderemos a graça salvadora, a menos que entendamos a enormidade do pecado pela lei e pelo testemunho direto. Necessitamos da lei porque ela é a norma do céu. Necessitamos do testemunho porque nossa mente tem uma capacidade imensa de justificar a si mesma e minimizar o pecado. Geralmente precisamos de alguém para nos mostrar nosso pecado, assim como Elias mostrou a Israel o pecado deles.

Sem a norma da lei, a graça se torna barata e insípida. Ela se torna desinteressante e perde sua atração. Davi disse: “Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia”. Sl 119:97. Ele estava nos dizendo o quanto a lei é importante e que devemos amá-la e meditar nela, assim como ele fez. Quanto mais amamos a Cristo, mais amamos a lei de Deus, os Dez Mandamentos. Quanto mais amamos a Jesus, mais compartilhamos da graça e poder que Ele nos dá para vencer o pecado. Quando meditamos na vida de Cristo, temos uma imagem clara da lei e sua perfeição de justiça. Quanto mais meditamos em Cristo e na lei, que Ele veio para cumprir, sua graça se torna mais maravilhosa e significante que nunca.

Não podemos abolir a lei. Amigos, a lei não pode salvá-los. Apenas Cristo pode salvá-lo. Mas a lei deve ser entendida em seu perfeito caráter. É a maneira pela qual entendemos nosso pecado e também o que Deus espera de nós. Elias e Moisés apontavam para Cristo, se entendido corretamente. Ambos revelam Seu amor e Seu poder para salvar.

Sem dúvida, Deus tinha arranjado para que Obadias fosse pelo caminho no qual Elias estava vindo. Deus trabalha desta forma. Ele organiza as coisas. Obadias ficou chocado ao ver Elias, e caiu prostrado em sinal de grande respeito. “És tu o meu senhor Elias?”, perguntou ele. Aqui está o homem que como um pai com ternura cuidava dos filhos dos profetas nas cavernas e que agora se prostra como um filho para o pai espiritual dos profetas.

Elias respondeu a ele no versículo 8: “Eu sou; vai, e dize a teu senhor: Eis que Elias está aqui”.

Mas Obadias estava preocupado. Vocês se lembram o que estava em sua mente? Todos sabia que Elias tinha aparecido do nada, e desaparecido no nada, como os profetas são propensos a fazer. Era dessa forma com os filhos dos profetas também. Eles estavam trabalhando secretamente e eram como o vento. Não se sabia de onde eles vieram, nem para onde estavam indo. Isso era frustrante para Jezabel e Acabe. Mas a reputação de Elias para desaparecer era bem conhecida. Obadias estava com medo que Elias fizesse Acabe de bobo e então ele seria morto por isso.

Versículos 9-15: “Porém ele disse: Em que pequei, para que entregues a teu servo na mão de Acabe, para que me mate? “Vive o Senhor teu Deus, que não houve nação nem reino aonde o meu senhor não mandasse em busca de ti; e dizendo eles: Aqui não está, então fazia jurar os reinos e nações, que não te haviam achado. E agora dizes tu: Vai, dize a teu senhor: Eis que aqui está Elias. E poderia ser que, apartando-me eu de ti, o Espírito do Senhor te tomasse, não sei para onde, e, vindo eu a dar as novas a Acabe, e não te achando ele, me mataria; porém eu, teu servo, temo ao Senhor desde a minha mocidade. Porventura não disseram a meu senhor o que fiz, quando Jezabel matava os profetas do Senhor? Como escondi a cem homens dos profetas do Senhor, de cinquenta em cinquenta, numa cova, e os sustentei com pão e água? E agora dizes tu: Vai, dize a teu senhor: Eis que Elias está aqui; ele me mataria. E disse Elias: Vive o Senhor dos Exércitos, perante cuja face estou, que deveras hoje me apresentarei a ele”.

Elias deve ter sorrido da falta de confiança de Obadias. Ele precisava de algum tipo de certeza. Ele estava vivendo sob ameaça de ser descoberto pelo que tinha feito com os profetas do Senhor por muito tempo. Ele por tanto tempo teve secreta e furtivamente fornecido apoio para os obreiros bíblicos perseguidos, que o seu primeiro pensamento foi que talvez isso iria expô-lo e ser o fim dele. Obadias acha que talvez o espírito do Senhor tenha levado Elias no passado, e agora no presente, pois, de repente, Elias está lá. E agora o que acontecerá se o espírito do Senhor carregá-lo para outro lugar qualquer novamente, enquanto ele vai procurar Acabe?

Obadias sabe que Acabe não merece nenhum favor de Elias e certamente Elias não merece qualquer maldade de Acabe. Ele sabe que os tiranos e os perseguidores, como Acabe, são muitas vezes excessivamente escandalosos, mesmo com relação aos os amigos e confidentes.

Elias está familiarizado com o poder de Deus. Ele não estava preocupado consigo mesmo. Ele sabe que Deus pode protegê-lo de Acabe. Elias promete a ele que não está brincando e que ele falará com Acabe naquele dia.

Versículo 16: “Então foi Obadias encontrar-se com Acabe, e lho anunciou; e foi Acabe encontrar-se com Elias”.

Agora pensem nisso por um instante. Acabe procurou por Elias em todos os lugares. Ele estabeleceu um sistema de vigilância total que era possível capturá-lo. Ele tinha espias em todos os lugares. Ele tinha oferecido recompensas por Elias. Tinha embaixadores procurando por eles em todos os países. Ele até colocou pressão nos outros países. E tudo isso falhou em encontrar Elias. Ele tinha esperança que pudesse surpreender Elias e assim triunfar sobre ele. Mas agora Elias o surpreende e ele treme ao encontrá-lo. Ele odeia Elias, mas o teme.

Imaginem a cena. Acabe está procurando por água e pasto para os animais, e de repente, vem Obadias chamando por ele. Acabe vira-se na esperança de que Obadias tivesse boas notícias sobre algum lugar com água para que ele pudesse alimentar seus animais. Obadias corre até Acabe e, sem fôlego, diz a ele que Elias está de volta e que está exigindo ver Acabe.

Embora fosse uma notícia de esperança para Acabe, ele estava com raiva. Quando vi Elias, disse a ele, versículos 17, 18: “És tu o perturbador de Israel? Então disse ele: Eu não tenho perturbado a Israel, mas
mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do Senhor, e seguistes a Baalim”.

Esta reunião era entre um rei mau e um bom profeta, um rei tão mau que toda a nação tinha sido atormentada e um profeta tão bom que a igreja sempre foi abençoada.

Mas Acabe achou melhor não tocar nele. Ele deve ter se lembrado do que aconteceu com Jeroboão quando ele tentou golpear um profeta. Vocês se lembram do que aconteceu com Jeroboão? Está no capítulo 13. Um profeta, cujo nome não sabemos, veio a Betel onde Jeroboão tinha erguido um altar e um bezerro para o povo adorar. Ele profetizou contra Jeroboão e a falsa adoração que ele tinha estabelecido. Jeroboão ficou com raiva dele. Agora vejam no versículo 4: “Sucedeu, pois, que, ouvindo o rei a palavra do homem de Deus, que clamara contra o altar de Betel, Jeroboão estendeu a sua mão de sobre o altar, dizendo: Pegai-o! Mas a sua mão, que estendera contra ele, se secou, e não podia tornar a trazê-la a si!” Quando o rei implora para o profeta pedir a Deus para restaurar sua mão, ele faz e a mão de Jeroboão foi restaurada.

Acabe conhecia esta história. Assim, ele não se atreve a tentar prejudicar o profeta fisicamente. Mas ele falou palavras com raiva para ele. “És tu o perturbador de Israel?”, perguntou ele. Não foi menos afronta para Elias do que teria sido uma lesão física. Que contraste era esse comparado com a forma como Obadias tratou Elias. Ambos revelaram seu verdadeiro caráter pela sua maneira como trataram o profeta.

A maneira como o povo trata o mensageiro ou ministro que traz a verdade, o testemunho direto, revela muito sobre sua atitude para com o povo de Deus. E a maneira como eles tratam esses mensageiros mostra como eles tratariam Cristo, se Ele aparecesse hoje. Eu espero que você sempre acolha bem o mensageiro da verdade, mesmo se ele trouxer uma mensagem de reprovação.

Acabe é estúpido. Aqui, Elias veio para trazer chuva e refrescar a terra que estava ressecada com a seca e Acabe fala dessa maneira com ele. Acabe está desesperado, mas ainda está cego pelo pecado.

Elias está indignado e devolve a acusação a Acabe. “Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai, porque deixastes os mandamentos do Senhor, e seguistes a Baalim”.

Os homens melhores e mais justos têm sido acusados com frequência de ser a causa dos desastres públicos ou injustiças. Eles são culpados por perturbar a paz, quando na realidade são os que colocam a acusação os que são culpados disso. Seus processos podem ter sido lentos e graduais, de modo a não suscitar uma objeção. Mas eles são, no entanto, a causa do mal. Quando alguém protesta contra fazer vistas grossas ou o pecado, o protestante é culpado por criar polêmica ou problemas.

Mas quem realmente é responsável pelo problema? É colocado sobre aqueles que sorrateira e silenciosamente mudaram a lealdade de Deus por adoração alternativa. É colocado sobre aqueles que gradativa e continuamente estão reduzindo o nível de cristianismo. É colocada sobre aqueles que trazem a tocha infernal de Satanás para os púlpitos da igreja de Deus. É colocado também aos pés dos líderes nacionais que lideram continuamente a nação para longe da lei de Deus e da Bíblia. Acabe era responsável pela apostasia tanto na igreja como no estado. Os que convidam os juízos de Deus que são os culpados, não aqueles que simplesmente preveem o perigo e alertam sobre as consequências.

Elias não para para esperar a resposta de Acabe. Não há nada que Acabe possa dizer. Agora ele está sob o controle de Elias e seria melhor fazer o que Elias diz. Elias representa um rei muito mais poderoso que Acabe. Ele representa o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. E ele agora pede uma convenção ou conferência com todas as pessoas presentes no Monte Carmelo, onde uma vez tinha sido um altar para o Senhor. Este pode muito bem ter sido um lugar alto bem famoso, onde a verdadeira adoração a Deus foi confirmada, assim como poderia ser, mas, eventualmente, havia caído em desuso e abandono. 

O versículo 19: “Agora, pois, manda reunir-se a mim todo o Israel no monte Carmelo; como também os quatrocentos e cinquenta profetas de Baal, e os quatrocentos profetas de Asera, que comem da mesa de Jezabel”.

Notem que Acabe foi instruído a levar todo Israel para lá para encontrar Elias. Ninguém deveria faltar neste importante dia. Sem dúvidas, muitos vieram ansiosamente. Eles queriam ver esse homem famoso que tinha sido procurado por tanto tempo. Eles estavam, sem dúvida, muito curiosos com ele.

Mas notem também que Elias exigiu que todos os profetas de Baal estivessem lá também, e todos os profetas dos bosques. Todo juntos somavam 850 dos que eram apoiados pelo estado. Eles comiam “da mesa de Jezabel” ou eram apoiados por sua tesouraria. Eles deveriam fazer uma aparição pessoal perante Elias. Eles deveriam vir de todo o país, onde quer que estivessem. Eram mandantes de Jezabel. Eles eram encarregados da tarefa de certificar que o povo observasse a adoração a Baal. Eles também funcionavam como espiões, talvez, para encontrar, se possível, o odiado Elias e também os profetas do Senhor, se pudessem. Os profetas dos bosques eram os capelães pessoais de Jezabel, que lideravam o culto devasso ao redor de Samaria.

Amigos, vocês acham que Deus necessita de mensageiros como Elias nos dias de hoje? Onde eles estão? Sim, há milhares que não dobraram os joelhos a Baal. Mas onde está a voz da severa repreensão? É politicamente incorreto reprovar o pecado. Aqueles que fazem isso não são apreciados.

Mas aqui está o testemunho do Senhor no livro Profetas e Reis, página 68. “Há necessidade hoje da voz de severa repreensão, pois graves pecados têm separado de Deus o povo. A infidelidade está depressa tornando-se moda. ‘Não queremos que Este reine sobre nós’ é a linguagem de milhares. Lucas 19:14. Os sermões macios tão frequentemente pregados não deixam impressão duradoura; a trombeta não dá um sonido certo. Os homens não são atingidos no coração pelas claras, cortantes verdades da Palavra de Deus”.

Vejam, meus amigos, a história de Elias é a história dos nossos tempos também. A apostasia gradual das nações leva a igreja na mesma direção. E a apostasia gradual da igreja leva a nação ainda para mais longe de Deus. Uma potencializa a outra. Temos isso acontecendo hoje? Claro que sim. Vocês já perceberam como que a igreja, em grande parte, reflete a sociedade? E se a igreja não resistirá ao progresso do pecado na sociedade, como pode ela reter sua própria pureza? Rapidamente, tanto as pessoas da igreja como as do estado estão sendo levadas ao desastre. Há “fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor” Amós 8:11.

Mas um tempo de angústia está se aproximando, meus amigos, que irá lançar o mundo e todos aqueles que clamam ser seguidores de Jesus em um crisol de teste e provação. Devemos ter nossa vida pura e santa como a vida de Elias. Se não estamos vivendo uma vida consistente, como Deus pode usar-nos para trazer Seu povo de volta ao lugar em que eles deveriam estar? Como Deus pode nos usar para alertar o mundo? Como Ele pode nos usar para despertar as almas que não têm conhecimento dos tempos em que vivemos?

Hoje, vemos a ascensão da vigilância do estado novamente. Vocês acham que isso é por acidente? Eu não acho. Foi profetizado pela história de Elias. Vocês acham que podemos escapar disso? Eu penso que não, exceto pela mão poderosa de Deus.

Elias viveu em uma época de vigilância. Os reis e governadores perversos estão fazendo o mesmo hoje em dia, só que mais ainda, porque eles têm a tecnologia. É caro. Mas Deus está nos mostrando isso agora porque estamos próximo do tempo quando o foco mudará de prevenir o terrorismo para perseguir o povo de Deus. O sistema de informações que está sendo desenvolvido está sendo especialmente preparado para o confronto vindouro entre o mundo das trevas e o mundo da luz.

Deus está nos mostrando tudo isso para que possamos aprender a confiar completamente nEle e também para que possamos entender sua enormidade, de modo que não temeremos o homem. Deus planeja derrubar tudo um dia, meus amigos. Ele planeja destruir tudo em defesa de Seu povo. Ao ver e entender isso agora, vamos também estar preparados para compreender o poder de Deus para conquistá-lo.

Vamos orar. Nosso Pai celestial, quão gratos somos por servir a um Deus todo-poderoso que tem nossos melhores interesses em mente. Obrigado por Sua graça que nos mostra coisas sobre as profecias para que possamos ver como elas estão sendo cumpridas em nossos dias. Por favor, envie-nos Seu Santo Espírito para que possamos viver de acordo com os princípios do céu. Purifica nossa vida e dá-nos o poder para vencer nossos pecados. Percebemos que há um sistema de vigilância em massa sendo desenvolvido e finalizado para que todos estejam sob a nova ordem religiosa mundial. Vemos os fatos se aproximando e reconhecemos que não podemos fazer nada a respeito. Apenas os anjos de Deus podem refreá-los. Eles veem o que está acontecendo e estão preparados para isso. Queremos estar preparados também. Que o Deus de Elias nos envie Seus anjos para permanecerem ao nosso lado e nos ensinar o que precisamos saber para nos preparar para o conflito iminente. Confiamos em Ti para nos defender quando for do interesse da Tua causa. E obrigado por Seu amor e poder. No precioso nome de Jesus, amém.